Em um ano em que as empresas buscam estabilidade em suas respectivas áreas, o mercado de finanças não é diferente. Lucas Papa, Senior Manager de FinanceTax & Legal na Michael Page, trouxe nesse estudo uma visão ampla das perspectivas desse mercado em constante evolução, partindo de uma retrospectiva de 2020, entendendo quais os desafios enfrentados, como foram superados e o que é esperado para 2021.

O perfil do profissional de finanças para 2021 

“Eu acredito que teremos poucas mudanças do que se esperou do profissional de 2020 para o que é esperado em 2021”. Diz Lucas Papa, ele ressalta que são mudanças que partem do job description e vão até as capacidades comportamentais deste profissional. Assim, seguem três características fundamentais para moldar o perfil requisitado pelas empresas em 2020: 

  1. A diferença entre ser gestor e ser líder: Entende-se como a capacidade do profissional de se organizar e liderar seu time em um ambiente remoto. Um desafio que foi imprescindível para o primeiro ano de pandemia, não só pela adaptação física do local de trabalho, mas também psicológica, que desafiou funcionários e líderes. Neste momento ter uma figura forte de liderança contribuiu muito para uma maior estabilidade em frente a essa nova realidade imposta e não apenas a figura de um gestor que cobre os números, mas sim de alguém mais humanizado voltado para o seu time. É válido ressaltar que esta característica pode ir além de 2020 e 2021, a pandemia acelerou pautas que já estavam sendo discutidas, e o trabalho remoto pode ser algo vai prevalecer para além da necessidade por conta da Covid-19.
  2. O perfil que conversa com a economia: as características buscadas em um profissional de finanças caminham junto com as oscilações da economia. No caso de 2020, a maior busca das empresas foi pela estabilidade de sua equipe, assim era necessário um profissional que atendesse a essa demanda. O melhor perfil encontrado foi o de pessoas que já possuíam cases de sucesso na prática e que iam além do perito em finanças em si. 
  3. Contratação atrelada ao seguimento: Em um ano de crise as empresas se apegam muito ao seu próprio seguimento, então a maioria das decisões das posições foram pautadas em suas respectivas áreas. Isso aponta o receio das empresas com o risco de fazer uma contratação de um seguimento diferente para trazer uma nova visão, mas no momento de receio dentro da crise, esse risco não é tomado.

“O que mais vem se transformando, independente do cenário de pandemia que tivemos no ano de 2020, mas pensando no perfil de finanças que vem se transformando nos últimos anos, é porque a área de finanças, assim como algumas outras de back office, elas deixaram de ser vistas nos últimos anos como uma área puramente de suporte e passaram a ser uma área propriamente de negócio. Falamos de um perfil que ele precisa estar ponderado e contextualizado com o business”. Afirma, Papa.

Ressaltamos também quais características se mantiveram dos últimos anos e, independente da pandemia, seguirão para 2021 e o futuro:

  1. O financeiro não pode só falar de números ele tem que falar de negócio: Dentro do mundo do business, o profissional financeiro precisa saber como os números conversam com o negócio. 
  2. Transitar pelas diferentes áreas da empresa: O profissional precisa ser versátil e adaptável. Para saber falar de negócio é necessário que ele consiga transitar pelas diversas áreas da empresa, passando por marketing, RH, vendas, operações etc. é um movimento fundamental e latente para o profissional. 

Frente a essas características, um dos maiores desafios para estes profissionais é o de se adaptar e entrar em contato com um lado mais humano e sensível do business, principalmente dentro do espaço remoto, é uma adaptação necessária para o perito em finanças. 

Os profissionais de finanças mais demandados de 2021 

“No ano passado, a principal posição requerida foi a de Diretor Financeiro ou CFO ou Head of Finance, essa primeira cadeira de finanças, o tomador de decisão de finanças foi a principal posição requerida no mercado”. Lucas Papa indica que no começo de 2021 ainda haverá contratações para dessas linhas de primeira posição, mas que teremos uma onda mais forte de contratações da linha de report para esses heads. Pois com a mudança dessa primeira linha ocorre a mudança do time, então outros contratos são redigidos para complementar essa esquipe. Assim oferecendo vagas para: 

  • Controller – Fornece o diagnóstico dos dias atuais diretamente para o CFO.
  • Tesouraria – Um profissional que olha para a caixa da empresa, que negocia com bancos, que fala de dívidas, com o objetivo de deixar o caixa da empresa cada vez mais redondo. 
  • Gerente de crédito e cobrança – Consegue organizar e se comunicar com seus principais interlocutores. 
  • Gerente de relação com o investidor – Segue sempre em uma perspectiva de crescimento. Com um movimento de abertura do capital por parte de algumas empresas em 2020, temos isso reforçado para este ano, assim o Gerente de RI se torna cada vez mais essencial dentro do mercado. 

“Essa é uma pergunta bastante recorrente: quando que vai começar a ter uma maior abertura de vagas? Você não precisa esperar uma data para as vagas, elas estão acontecendo. Sim, em um volume menor, mas temos bastante vagas acontecendo, só que não necessariamente essas vagas vão estar publicadas no Linkedin, tem muita vaga e, em grande maioria, sigilosa. Então quanto mais networking você tem quanto mais você for ativo com seus contatos e mostrando para o mercado que você é um profissional qualificado e que você está aberto, isso é importante para você ser considerado.” Papa evidencia que não existe uma data para quando ocorre a abertura de vagas, mas que o seu networking é fundamental para você continuar ativo e atualizado com o mercado de trabalho. 

Lucas aponta que 2021 não é um ano para um aumento considerável de vagas no geral. Mas que passando mais os tempos de crise e a procura por estabilidade, as empresas voltam a crescer e, consequentemente, ocorre uma abertura mais ampla de vagas, o que pode acontecer no final deste ano e no começo de 2022. 

Decorrente disso, o Senior Manager diz não haverá o surgimento de novos cargos e demandas neste ano. Justamente por 2021 ainda ser um momento em que as empresas estão focadas em desenvolver estabilidade e saírem de um momento de crise, existem posições que não eram tão usuais e que podem ser mais trabalhadas, mas é muito improvável que existirá a abertura de novas posições. Pois, como mencionado, as empresas buscam um profissional adaptável e versátil, que sabe transitar por diversos setores e se comunicar abertamente com pessoas do seu e de outros times. 

Expectativas para os profissionais de finanças em 2021 

Conversando com o nosso Estudo de Remuneração, é possível perceber que haverá pouca mudança salarial. Em um ano de crise, é muito difícil que aconteça um aumento de salário, pois os esforços das empresas estão voltados para desenvolver uma maior estabilidade no ambiente. 

“A partir das quatro posições mencionadas (controller, tesouraria, gerente de crédito de cobrança e gerente de RI), são posições que as empresas que vão trabalhar essas vagas aumentem um pouco os salários destes profissionais para a contratação, justamente por serem cadeiras eminentes e demandadas pelo mercado. Serão profissionais que, provavelmente, estão trabalhando e sendo valorizados nas empresas em que eles estão. Assim, para que ele realize essa transição, ele vai ter que ser atraído pelo projeto oferecido e pelo financeiro.” Lucas Papa indica como estas cadeiras podem ter uma perspectiva maior de aumento, mas elas são uma exceção, pois de um ano para o outro a variação salarial será baixa ou zero.

Considerando que em 2020 tivemos dois pilares de seguimentos em crescimento: o agronegócio e os setores ligados à saúde, como o farmacêutico e continuam sendo para esse início de 2021. O agronegócio há muito tempo segue sendo um dos pilares do Brasil. No ano passado, foi o principal segmento da economia.

Para os profissionais de finanças em busca de novos setores para crescimento, existem diversos seguimentos que possuem relação com a tecnologia desde empresas do setor de games, varejo online, até as fintechs. Por mais que seja um setor muito oscilante também é o setor do futuro que está sempre em crescimento.  

Além disso, setores de construção civil e de energia renovável seguem em alta. A construção voltada a infraestrutura é um segmento que deve demorar mais a fazer novas contratações. Agora o de energia renovável é um mercado que já tinha uma perspectiva muito grande para 2020 nesse setor e, agora em 2021, apesar de começar mais devagar, tem grande potencial de expansão e os profissionais devem ficar atentos.

*Esse artigo faz parte da série "Perspectivas para o mercado de trabalho em 2021”. Acesse os demais artigos.

Escrito por Beatriz Magalhães Girão 

iOS App Store logoAndroid Google Play logo