Um bom profissional deve ter inúmeras qualidades que o levam a ser contratado no momento de um processo seletivo. Além de formação adequada ao cargo, o candidato terá que mostrar evidências de sua trajetória profissional e explicar com quais habilidades ele pode ajudar no desenvolvimento da empresa em questão.

Agora, e quando falamos em desligamento? Será que este profissional que está prestes a deixar uma companhia tem características específicas ou passa pelas mesmas circunstâncias? É possível se livrar de um corte?

Existem muitos fatores que podem influenciar em uma demissão, no entanto, é possível listar algumas situações que ocorrem com a maioria dos profissionais que são afastados de suas funções. Abaixo, preparamos alguns pontos que merecem atenção.

Liderança

Ter pouco sentimento de líder, demonstrar desanimo em questões que necessitam de tomadas de decisão rápidas e efetivas e pouco controle sobre suas ações são alguns indicadores de falta de liderança. “Ah, mas eu não sou chefe, não tenho uma equipe para gerir” – Não há problema algum!

A liderança não é ser líder de alguém ou de um time. Liderança está presente no dia a dia, nas ações implementadas e na maneira de pensar. Seja líder de si mesmo e sinta as recompensas.

Falta de perspectiva de carreira e desenvolvimento

Tanto para profissionais, quanto para empresas, a falta de perspectiva de crescimento na carreira é uma barreira para ambas as partes e um forte fator de movimentação no mercado como um todo.

Aqui, a dica é: converse com seu gestor, avalie sua posição e a sua empresa, salários e as vantagens e desvantagens de seguir em frente. Vale a pena colocar tudo na ponta do lápis antes de tomar uma decisão definitiva que pode impactar amplamente sua vida.

Aproveite ao máximo todo o seu potencial de desenvolvimento onde quer que esteja. A recompensa virá.

Reestruturação

Crise, corte orçamentário e integração de equipes, assim como desmembramento de time ou mudança de prédio, bairro ou cidade. Estes são somente alguns fatores que podem acarretar em uma reestruturação da organização.

Neste caso, não há muito a ser feito. Questões internas das organizações são, de fato, bem difíceis. Mas, lembre-se: um bom funcionário terá seu espaço garantido e sempre será lembrado por gestores e colegas. Oportunidades internas ou externas vão surgir.

Perfil da empresa

Às vezes, uma ida ao cinema gera muita expectativa em relação à atuação daquela sua atriz predileta. No meio da projeção, você percebe que o papel não foi feito para o perfil dela ou que a interpretação deveria ser feita de outra maneira.

O mesmo acontece com as atuações dentro das corporações. Por mais que seu CV seja exemplar e suas habilidades muito boas, o perfil de trabalho da empresa, o ambiente criado ali ou a integração com colegas pode não ser o melhor para o seu perfil.

Passar por isso não significa que um profissional é ruim. São apenas culturas, perfis distintos. Portanto, antes de entrar em qualquer processo seletivo, pesquise sobre a companhia, sua visão, seus valores e maneira de trabalhar. Se possível, ouça alguém que trabalhe lá dentro. Um pouco de tempo investido aqui pode lhe poupar futuras dores de cabeça.

iOS App Store logoAndroid Google Play logo