Você está aqui

Estudo de Perspectivas Econômicas e Profissionais Latam 2018

Metade das empresas com atuação na América Latina pretendem investir mais do que em 2017. Estratégias, capacidade operativa e produtividade são os principais focos

Diferentemente dos anos anteriores, esta edição traz as perspectivas de 2,5 mil executivos aliadas às opiniões de mais de 15 mil profissionais de apoio à gestão.

É o quinto ano do estudo lançado pelo PageGroup feito, especialmente, para o mercado latino-americano e voltado, principalmente, para os países onde suas operações são fixas: Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, Peru e México.

Investimentos

A intenção de investimentos estará voltada para as áreas de expansão de capacidade operativa na Colômbia, México e no Peru, enquanto no Brasil, Argentina e Chile, o aporte será mais aplicado em projetos para o aumento da produtividade.

Quando falamos das empresas, 83% pretendem fazer investimentos iguais ou maiores do que em 2017.

Contrações

71% dos entrevistados desejam trocar de emprego ainda em 2018. O Peru lidera o ranking, com 90% de profissionais que esperam fazer a mudança. No Brasil, este número cai para 72% dos respondentes.

Mais uma vez, as áreas com mais destaque para contratações em 2018 são: Operações, Vendas e Tecnologia.

Prioridades regionais de carreira

Argentina: 29% pretendem conseguir um emprego em sua área de atuação

Brasil: 26% pretendem conseguir um emprego em sua área de atuação

Chile: 26% esperam se manter em suas posições atuais e ganhar mais experiência

Colômbia: 30% pretendem conseguir um emprego em sua área de atuação

México: 31% pretendem conseguir um emprego em sua área de atuação

Peru: Desejam conseguir uma nova posição em um setor distinto de atuação

Desemprego

Na América Latina, as taxas de desemprego continuam altas para os padrões mundiais. Pouco mais de 15% dos entrevistados estão em busca de uma colocação profissional.

Taxas de desemprego por região:

 

Confiança no mercado de trabalho

Quando questionados sobre o mercado de trabalho nos próximos 6 meses, 23% dos profissionais estão muito confiantes. 43% confiantes e 34% inseguros.

Chile se mostrou o país com o maior índice de insegurança (46%), seguido por Colômbia (39%) e Brasil (37%). O país mais confiante é o México, com 34% de respostas positivas.

 

Clique aqui e saiba mais sobre o que esperar de 2018 para a América Latina.